A aplicação de sensores de umidade para areias e agregados utilizados na construção civil, garante que o fator água x cimento seja constante em todas as etapas de produção do concreto. Pode-se corrigir o peso de cada agregado, uma vez que se saiba a quantidade de água existente em cada um deles. 

Os sensores de umidade também reduzem erros, perdas e custos de produção; diminuem o desvio padrão da variação de resistência do concreto e da peça moldada; aumentam a confiabilidade dos processos produtivos e melhoram a qualidade e coloração dos artefatos. 

Esses medidores são aplicáveis em quaisquer tipos de dosadoras de agregados: por pesagem, despesagem, com comportas pneumáticas ou correias extratoras.

 

Eles garantem que a umidade final do concreto seja sempre a mesma em todos os ciclos de produção. 

O uso desses sensores de umidade deve ser integrado às automações das centrais de concreto para que, durante a pesagem do material, sejam feitas as medidas de umidade de cada agregado e a correção de peso. 

Para o carregamento do caminhão ou do misturador, já se sabe o teor de água de cada agregado e a adição da água faltante pode ser feita lendo-se o sinal de um hidrômetro ou medidor de vazão ou, ainda, via uma balança.

O uso de sensores de umidade em agregados é importante tanto para a correção da quantidade de água, quanto para a correção da receita. 

Na tabela a seguir, há a fabricação de concreto com traço 1 (cimento):10 (agregado fino). Neste exemplo compara-se, na situação 01, a produção de uma mesma receita, sem a correção de umidade, com a situação 02, com o uso de sensores de umidade e a sua respectiva medição e correção e pesagem dos agregados.

Conforme demonstrado na tabela acima, a produção de concreto, na situação 01, exigiria 11 ciclos produtivos (e não 10) para a fabricação de 22.000 kg de concreto.

 

Este ciclo extra consumiria 200 kg de cimento desnecessariamente. Assim o consumo total de cimento na situação 01 seria de 2.200 kg para a fabricação de 22.000 kg de concreto.

Já, na situação 02, pressupondo-se as devidas correções de peso e umidade, são consumidos 2.000 kg de cimento para a fabricação de 22.000 kg de concreto, ao invés de 20.000 kg, como verificado na situação 01.

 

Essa correção de pesagem realizada pelos sensores de umidade, justifica o investimento nesse tipo de equipamento, pois o seu retorno é muito evidente! 

 

A figura abaixo apresenta dados típicos de um processo de medição de umidade em agregados. A curva mostra o comportamento de leitura de umidade para um sensor montado abaixo de uma comporta pneumática de central dosadora de agregados.

PARA SABER MAIS SOBRE SENSOR DE UMIDADE AREIAS E AGREGADOS

Telefone: (19) 3032.1751 (19) 3888.2738

E-mail: condutiva@condutiva.com.br

Rua 03, n° 84 – Parque das Indústrias Bairro Betel. Paulínia / SP | CEP 13148-378

Contate-nos

Rua Três, 84 - Parque das Indústrias / Paulínia SP CEP 13148-378

Conecte-se conosco
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
Logo Condutiva site.png

ENTRE EM CONTATO COM A CONDUTIVA : (19) 3032.1751 (19) 3888.2738

Novoloorganicaazulsite.png
  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto